A arte da comunicação não violenta

Título: A arte da comunicação não violenta
Subtítulo: Escritos e correspondências entre
Gandhi e Tolstói
Autor: Gandhi e Tolstói
Formato: 16×23 cm
Páginas: 208
ISBN: 978-65-5957-071-3
Preço: 49,90

AMAZON 

Categoria:

Descrição

Um novo olhar sobre a maneira como nos relacionamos com o outro, com o mundo.

Gandhi é mundialmente conhecido por ter popularizado a ideia da não violência. O que poucos sabem é que a filosofia praticada por ele se forjou numa troca de correspondências com o escritor russo Liev Tolstói, que depois de se consagrar com os romances Guerra e Paz e Anna Karenina, abandonou a vida aristocrática para se dedicar aos estudos e ensinamentos da não violência.

Segundo os autores, precisamos substituir a norma da violência e remover a tirania começando pelas ações mais corriqueiras da vida, de modo a garantir nossa própria reforma pelo método de não resistência ao mal. Trata-se de alterar o modo de enfrentar o ódio no mundo com um olhar diferente de forma a evitar que ele nos contamine.

A troca de cartas entre duas das mais influentes personalidades do século XX imortalizou o conceito de não violência e ressurge, nessa edição exclusiva, com artigos e correspondências que abordam os mais diferentes assuntos: das relações de poder, relações profissionais e familiares, do olhar que temos sobre diversos grupos sociais, das relações com as mulheres, enfim, você encontrará a origem de toda a proposta de não-violência e seus fundamentos, colhidos na origem.

OS AUTORES

LIEV TOLSTÓI é um dos escritores russos mais respeitados no mundo. Nascido em 1828, em uma família aristocrática, Tolstói é autor dos romances Guerra e Paz (1869) e Anna Karenina (1877). Durante a década de 1870, Tolstói experimentou uma profunda crise moral, seguida do que ele considerou um despertar espiritual igualmente profundo. Sua interpretação literal dos ensinamentos éticos de Jesus, centrada no Sermão da Montanha, fez com que ele se tornasse um fervoroso anarquista cristão e pacifista. As ideias de Tolstói sobre resistência não violenta teriam um impacto profundo em figuras centrais do século XX como Ludwig Wittgenstein, William Jennings Bryan e, claro,
Gandhi. Morreu em 1910, aos 82 anos de idade, de pneumonia, na estação de trem de Astapovo. Vários passageiros relataram que, mesmo debilitado, Tolstói passou as últimas horas de sua vida pregando o amor e a não-violência.

MOHANDAS KARAMCHAND GANDHI nasceu na Índia em 02 de outubro de 1869. Advogado, nacionalista, anticolonialista e especialista em ética política, empregou o conceito de não violência para liderar a campanha bem-sucedida para a independência da Índia do Reino Unido, e por sua vez, inspirar movimentos pelos direitos civis e
liberdade em todo o mundo. Gandhi utilizou pela primeira vez a desobediência civil não-violenta como advogado expatriado na África do Sul, na luta da comunidade indígena pelos direitos civis. Após seu retorno à Índia em 1915, ele começou a organizar camponeses, agricultores e trabalhadores urbanos para protestar contra o imposto sobre a terra e a discriminação No aniversário de Gandhi, em 02 de outubro, é comemorado em todo o mundo o Dia Internacional da Não Violência. Apesar de ter sido indicado cinco vezes ao prêmio Nobel da Paz, nunca recebeu a condecoração.