Impressão por demanda x impressão em larga escala com Diego Drumond

Impressão por demanda x impressão em larga escala com Diego Drumond

06-07-21 | Opinião | Faro Editorial |

Impressão por demanda x impressão em larga escala

Não é segredo para ninguém que nós aqui na Faro temos uma paixão por livros físicos. Não deixamos de publicar em outros formatos, claro, – hoje temos livros digitais na plataforma Skeelo e audiobooks na Storytel.

Mas como uma característica marcante da Faro como um todo é a de nadar contra a corrente, gostamos de recriar sobre a rocha, sobre o formato que ainda responde por mais de 90% das leituras.

 

E estamos sempre buscando uma forma de inovar. E além das escolhas que fizemos no início da Faro – que já contei aqui nesse texto -, hoje vou falar um pouco sobre a impressão do livro, que reside na estratégia entre a impressão sob demanda e em larga escala.

Bom, por estratégia, a Faro nunca fez impressão de livros por demanda. E por quê?

Porque o nosso foco são livros que têm – ou terão – o potencial de público leitor enorme. Para alcançá-lo, precisamos colocar nos pontos de vendas 10 vezes mais exemplares que uma otimista venda mensal. Na Faro, nossas tiragens começam a partir de 5 mil livros, e essa é também a expectativa mínima de venda que temos para cada título. O cálculo inclui a previsão de todos os demais custos, pois cada livro precisa “lidar” com a estrutura que a empresa coloca a sua disposição, as ações comerciais, o trabalho de todos os colaboradores – designers, revisores, tradutores, etc.

Atualmente muitas editoras têm optado pela impressão sob demanda, e há alguns motivos para isso: testar o mercado, especialmente quando se trata de livro cujo gênero/tema atenda a um público menor ou ele seja ainda pouco conhecido. Então a opção por demanda funciona para conferir sua recepção pelos livreiros e leitores. Produzir somente a quantidade para atender um público já existente, ou que encomendou o livro numa pré-venda, tem suas vantagens. Além da economia com estocagem e logística, a venda é garantida.

Muitas editoras preferem esse sistema para fugir da consignação – que é a prática mais comum das livrarias brasileiras, que recebem o livro, informam mensalmente as vendas e, depois de um prazo de cerca de dois meses, realizam os pagamentos dos exemplares vendidos. Nesse modelo, o risco fica por conta da editora, que investe, da produção até a comunicação, para que a livraria consiga vender os livros em suas plataformas.

E se a ideia é atingir a todo esse público, de alguma forma, o livro precisa ser visto. E é aí que a impressão em larga escala se faz fundamental no processo editorial. Uma tiragem grande terá uma distribuição maior, a chance dessas pessoas serem impactadas pelo livro de alguma forma é grande. Alinhando isso a uma campanha estratégica de marketing para criar o desejo de compra, esse público terá a chance de encontrar os livros em qualquer livraria, em qualquer cidade do Brasil.

Quem não é visto, não vende! E quem não vende, não é lido. E ser lido, é sinal de que o leitor gostou do resultado final dessa conta toda aí!

E como a gente falou de custos, a impressão é o acerto final dessa conta. Quanto mais livros você imprimir, menor será o seu custo por unidade. Muitas vezes, a impressão por demanda pode encarecer um livro até 5 vezes mais. E livro caro vende menos.

A impressão por demanda também impacta – e MUITO – nos custos de acabamentos e alguns deles não podem ser feitos pelas máquinas que produzem sob demanda. E nós aqui na Faro queremos muito que um livro conquiste o leitor também pelos acabamentos gráficos: principalmente relevo, verniz, impressões com cores especiais nas capas, versos, orelhas, formatos diferentes, etc.

Ou seja, se você adora livros com um acabamento especial – saiba que esse livro foi impresso em larga escala sim! E isso foi feito para que você tenha o livro mais bonito e num preço acessível em suas mãos.

A impressão de um livro em larga escala só acontece quando a editora acredita que o título tem grande potencial: você investe pagando pelos direitos, pelo trabalho editorial e em todo o processo para fazer o livro acontecer. E isso tudo é decidido antes do livro existir. Você não faz o livro primeiro para depois pensar vale apostar tantas fichas.

E você leitor achando que era só receber o original e manda para a gráfica hein?

 

Uma resposta para “Impressão por demanda x impressão em larga escala com Diego Drumond”

  1. Sandroka disse:

    Vcs mandam super bem nos textos do blog. 🙂
    Impressão em larga escala com certeza impacta muito mais. Até o pedido do público por certos autores obriga por essa escolha.
    Mas…
    Pra editoras pequenas a opção ainda é por demanda, não há muito como fugir.
    O válido é prezar sempre pela qualidade do produto oferecido. Nós, leitores, ganharemos sempre se assim for.
    S2

Deixe uma resposta para Sandroka Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Termos mais procurados

Arquivo