O Jogo mais doce

A INCRÍVEL CONCLUSÃO DA HISTÓRIA DE AMOR DE CASSIE & JACK

Eu sinto que nasci para ficar com ele, como as conchas na praia. Jack era a concha, em constante movimento, sendo lançado de lugar a lugar pelo fluxo de alguma coisa mais poderosa que ele. E eu era a areia, prendendo-me e agarrando-me a ele,
aliviando seus tombos a cada avanço, sempre fiel.

Cassie Carter

Quando sua carreira no beisebol chega ao fim, é como se batessem com um martelo em seu peito. Então você finalmente percebe que pode amar o esporte, mas ele nunca pode ser
comparado ao amor de sua vida. Todas as noites sem dormir, as horas passadas na academia, o condicionamento, o treinamento, a preparação mental, os feriados perdidos, as ausências
em momentos importantes de sua família… tudo para quê? O seu esporte, o seu trabalho, não ficou acordado por noites a fio, torcendo, cuidando, tentando descobrir como tornar você um
jogador melhor ou dando mais do que você merecia. Ele é um negócio. Um esporte. Um jogo. E, por mais que minha vida tenha sido transformada por ele, é hora de deixar isso para trás.

Jack Carter

Trecho do livro:
— Então seu pai ficou bravo porque não vai entrar com você?
A última coisa que eu queria no dia do meu casamento era me sentir mal por minhas decisões. Não queria ninguém “me entregando” a Jack, muito menos o homem que me desapontara mais que qualquer
outro na vida. Caminhar por aquele corredor sozinha e me unir a Jack para começarmos nossa vida juntos me pareceu a coisa certa a fazer.
— Ele ficou magoado e acho que não entendeu a mensagem. Ele queria entrar comigo porque é isso que um pai faz.
— Bom, então talvez ele devesse ter sido um pai melhor — Melissa disse num tom ferino.
[…] A música entrou pelas janelas abertas da sala onde Melissa e eu estávamos esperando. Respirei fundo e mordi o lábio inferior. O nervoso tomando conta de mim.
— Nossa! Está na hora! — Melissa foi até a porta de vidro e deu uma espiada. — Ah,
está tão bonito, Cass! — Ela me deu um abraço e sussurrou: — Vejo você lá! — Depois, saiu pela porta e caminhou lentamente pelo corredor entre as fileiras.
Respirei fundo de novo e a segui, parando brevemente na porta. Ela estava certa.
O quintal dos avós de Jack tinha se transformado em um lugar maravilhoso. Velas faziam pequenas sombras por toda a parte enquanto o sol se punha atrás das árvores. Inúmeras luzinhas piscavam nos galhos. […] e não pude deixar de sorrir enquanto meu coração se enchia com todo o amor que sentia por Jack. Perdi o fôlego por um momento quando o vi lá na frente, esperando por mim com um sorriso bobo no rosto.
[…] Assim que cheguei ao altar, Jack estendeu a mão e pegou a minha, acariciando-a com o polegar em um gesto sensual que me deixou arrepiada. — Você está linda — ele sussurrou, inclinando-se para mim.
— E você está uma delícia — sussurrei de volta, dando uma piscadela em seguida.
Minha mente girava enquanto eu lembrava de tudo que eu e Jack tínhamos passado durante essa jornada, do inferno até hoje, onde estávamos agora. Tínhamos chegado tão longe juntos!
Quando chegou a hora de fazer os juramentos, chorei um pouco mais do que Jack. — Eu amo você — confessei em meio a lágrimas de felicidade.
Jack estendeu a mão e tocou meu rosto, enxugando as lágrimas com os dedos, então inclinou a cabeça para me beijar.
— Opa! Esperem! — Vovô bradou, interrompendo o momento.

——-

Nas livrarias a partir de 25 de fevereiro! Em breve, nas pré-vendas!